Se foi o tempo em que eu corria atrás da saudade. Bastava ela apertar… e pronto! lá estava eu. E não importava-me, fosse onde fosse, eu a buscava e a sufocava. Incontáveis as vezes em que andei atrás deste vil sentimento. A ausência daqueles que me eram caros machucava; faziam-me achar que o melhor remédio para o tal mal (da saudade) era poder estar frente a frente e olhos nos olhos dos que longe estavam.
Uncategorized
Hoje… com certo receio, emprestei meus olhos para verem o ensaio das persistentes ondas criadas pela mar… se achegavam de mansinho, e como quem faz algo de errado, atrevidamente tratavam de tocar os meus pés. A brisa que com suavidade desfilava a flutuar por sobre o mar, provocando um som de se fazer arrepiar. Num misto de enigma e magia me fez recordar as tantas realidades por mim vividas e outras tantas que não passaram
Uncategorized
Há alguns séculos, em algum lugar, afirmam terem avistado uma estrela cadente que viajou pelo céu há prenunciar um feito que mudaria a história da humanidade. Uns fugiam pelo medo, outros, achavam ser relâmpagos que se perdia pelo céu. Mais teve quem acreditou e entendendo a mensagem, escolheu o melhor presente e partiu em busca da boa nova. E pelo caminho, se tornaram três; e sendo três, tornaram se reis: Baltazar, Melchior e Gaspar. Os
Uncategorized
A notícia correu como rastilho de pólvora. Em poucas horas, o bairro inteiro onde moro, ficou em pavorosa. Também pudera, ficamos sabendo que finalmente o terreno conhecido por “matão”, seria tomado por uma grande edificação. Felicidade geral; o vizinho do número trezentos e alguma coisa, saiu com falácias de que “agora nossos imóveis” triplicaria de preço”. Dava se margem a conversas, de que uma espécie de shopping ocuparia aquele espaço. E assim foi, entre vai
Uncategorized
Ela veio batendo forte. Assim como o vento inesperado que chega com certo alarde, ela chegou pegando-me desarmado… e sem cerimonia, apresentou-se como saudade. Isenta de sentimentos, e sem se importar, acuou-me no justo instante que buscava por propósitos em poder realizar as tantas coisas que ainda tenho a fazer. Tentei fingir. Busquei refugiar-me tão somente no presente; mais o peso do passado, arrastou-me, se fez bem mais presente. Num instintivo impulso onde tomado pelo
Uncategorized

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *